Home»BEM-ESTAR»SAÚDE»Audição sã em corpo são

Audição sã em corpo são

Sabia que o excesso de peso pode por em causa a sua boa capacidade auditiva?

Pinterest Google+
PUB

Estamos a engordar cada vez mais! Dados recentes de instituições de referência mostram que nas últimas décadas a população mundial tem vindo a aumentar de peso para valores preocupantes e Portugal não é exceção a esta tendência mundial. De facto, a população portuguesa sofre cada vez mais com o chamado problema de peso. Temos vindo a engordar, devido, sobretudo, ao estilo de vida sedentário, e por vezes sem termos consciência das consequências futuras que esta condição pode trazer.

 

Na verdade, Portugal aparece entre os piores lugares da tabela mundial da obesidade e excesso de peso, e no caso específico das mulheres, segundo um estudo publicado na revista The Lancet, é o terceiro país da Europa ocidental com maior percentagem de raparigas obesas e com excesso de peso, problema que afeta mais de um quarto (27,1%) das jovens. O cenário é preocupante, principalmente para o género feminino: o excesso de peso afeta ainda 54,6% das mulheres e 23,4% são já consideradas obesas. Além de aumentar o risco de certos tipos de doenças como, por exemplo, as patologias cardíacas ou a diabetes, a obesidade pode ainda comprometer, por exemplo, o bom desempenho de sentidos como a audição.

 

Na verdade, o excesso de peso pode tornar os vasos sanguíneos mais estreitos, comprometer o fluxo sanguíneo e causar pressão arterial elevada, podendo provocar assim a perda da qualidade auditiva. As gorduras acumuladas na zona da cintura podem prejudicar a audição, o que é comprovado num estudo desenvolvido pelo Brigham And Women’s Hospital, que conclui que as mulheres com maior índice de massa corporal (IMC) e perímetro abdominal têm um maior risco de desenvolver perda auditiva do que as mulheres com IMC normal. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o índice de massa corporal normal encontra-se entre os 18,5 e os 25 quilos por metro quadrado, sendo que a partir dos 30 considera-se que o indivíduo se encontra obeso. Os investigadores concluíram que mulheres com um IMC entre 30 e 34 tinham um risco 17% superior de perda auditiva e que, se o IMC fosse de 40 ou superior, o risco de perda auditiva aumentava para os 25%, quando comparadas com mulheres com um IMC inferior a 25. Verificou-se ainda que mulheres com um perímetro abdominal superior a 88 cm têm 27% mais probabilidade de desenvolver perda auditiva que as mulheres com uma cintura inferior a 71 cm.

 

Segundo a OMS, cerca de 360 milhões de pessoas sofrem de perda auditiva incapacitante em todo o mundo, muitas ainda sem o correto diagnóstico e tratamento e, embora esta condição seja muitas vezes associada ao processo de envelhecimento, este estudo vem demonstrar que existem outros fatores de risco – como a obesidade – aos quais se deve estar atento.

 

A perda auditiva é um problema de saúde onde é fulcral apostar na prevenção pois, nas suas formas mais avançadas, pode tornar-se incapacitante a diversos níveis. Todas as mulheres, principalmente numa fase adulta e com excesso de peso, devem fazer regularmente exames auditivos, optar por uma dieta alimentar equilibrada, manter um peso saudável e ser fisicamente ativas. Só assim conseguirá ter uma audição sã num corpo são!

Por Pedro Paiva

Audiologista

Artigo anterior

Visita guiada à Quinta da Aveleda

Próximo artigo

Joalheira portuguesa destacada em Londres