Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Astrologia medicinal: uma prática milenar que liga o corpo ao universo

Astrologia medicinal: uma prática milenar que liga o corpo ao universo

O estudo da astrologia e do corpo humano remonta à antiguidade, surgindo o pensamento ligado à prática da vida, num tempo em que as enfermidades eram constantes e não existiam medicamentos. As plantas eram o remédio utilizado com a relação planetária. Falemos resumidamente da história da astrologia e da sua ligação com o corpo humano.

Pinterest Google+

Provavelmente o mais importante trabalho sobre astrologia foi escrito na primeira metade do século 2 dC pelo filósofo grego Ptolomeu. É uma compilação colossal de obras de séculos anteriores, que consiste em duas partes: O Almagesto e Tetrabiblos. O Almagesto lida com o movimento astronómico do Sol, Lua e Planetas, enquanto os Tetrabiblos lida com interpretações astrológicas destes movimentos.

 

Como muitas obras antigas sobre astrologia foram destruídos nos incêndios desastrosos na Grande Biblioteca de Alexandria, os livros passaram a representar o registo existente mais completo da astronomia antiga e astrologia. A astrologia sempre desempenhou um papel importante nos sistemas de medicina tradicional em todo o mundo, e no greco-árabe não foi exceção.
Porque a perceção de hoje do universo é regido por princípios “racionais”, ou seja, temos a tendência de ver o mundo que nos rodeia em termos de como realmente existe, forma de tentar determinar as informações sobre a doença, observando a posição dos planetas e das estrelas dos antigos pode parecer um pouco estranho para alguns de nós. Mas os antigos viam o mundo e o universo de uma forma diferente do que fazemos hoje; percebiam e interpretavam o mundo ao seu redor como uma realidade, ou seja, como eles experimentavam, tanto objetiva como subjetivamente.

 

Eles, portanto, não viram problema em aceitar as correlações encontradas entre eles e as suas próprias experiências e o grande relógio cósmico de planetas e estrelas. Para eles, não era estranho usar a astrologia para prever o desenvolvimento de uma doença.
Há muitas coisas que podem ser argumentadas a favor e contra, tanto, o moderno como os pontos de vista antigos do mundo, mas seja qual for a opinião de cada um, considerar os nossos ancestrais como um bando de idiotas primitivos e nós mesmos como profundamente iluminados seria um grave erro. Há certamente muitas coisas na nossa perceção moderna, racional e científica que os antigos teriam considerado bastante irracional, porque contradiz flagrantemente a experiência pessoal quotidiana.

 

Princípios e prática da astrologia medicinal

Por favor, note que esta é apenas uma visão geral básica. A astrologia é um assunto complexo e profundo, que exige uma grande dose de estudo e conhecimento.
A principal função da astrologia médica é fornecer uma indicação sobre se a influência cósmica existente no momento de uma doença é suscetível de ser vantajoso ou desvantajoso para o doente, e assim:

– Severidade provável da doença em particular

– Duração provável da doença

– Eventual resultado provável da doença, e meios adicionais que podem ser empregues por um médico para contrariar a doença e, assim, facilitar a restauração da saúde do paciente.

 

A astrologia médica foi há milhares de anos um importante, se não uma parte essencial da medicina. Apesar de as perspetivas culturais terem mudado ao longo dos anos, a realidade de influências cósmicas sobre o mundo natural não mudou.

Artigo anterior

Quivis portugueses são mais apreciados do que os importados

Próximo artigo

No mês dos casamentos... veja como manter a chama do seu acesa