Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Astrologia e saúde: as ideologias de Sagitário

Astrologia e saúde: as ideologias de Sagitário

A expansão e o otimismo regem este nono signo do zodíaco, ligado a forma como a ideologia da vida permite abrir horizontes. No entanto, por esta mesma razão, podem expandir problemas de saúde, quando a sua ideologia de vida vai contra a forma como na realidade vivem a vida.

Pinterest Google+

Culpeper diz: “Sob Sagitário estão as coxas, o osso chamado Os Sacrurm … O osso da Tromba, o osso da Coxa, junto com todos os acessórios pertencentes à coxa.”

 

Por vezes, sentem-se presos a ideais que não se conectam, e o fígado e a vesicula podem ser os órgãos que mais são afetados, devido à somatização de toxinas que não são libertadas. O planeta Júpiter que rege este signo também se liga às coxas, quadris, fémur, sacro, cóccix, ísquio, vasos sanguíneos, nervo ciático, glândula pituitária.

 

Uma das causas que pode levar à tensão, para além do já referido, é a inquietação, desgosto, exagero, orgulho, libertinagem, gula, instabilidade, que são fatores de comportamento que aumentam a tendência para estes sintomas. O mesmo pode acontecer com o ascendente em Sagitário ou Júpiter na casa 9.

 

As lições de Sagitário

Ao ligarmos Sagitário ao seu eixo Gémeos, encontramos acumulação de tensão, muito devido ao seu elemento fogo, onde pretende que as ideias sejam a todo o custo escutadas: tem dificuldade em aceitar as ideias dos outros. No entanto o sistema nervoso também é afetado, quando temos sintomas que agravam os órgãos referidos. Podemos remeter esta tendência à fase dos 12 anos, onde vivemos todos o chamado ingresso de Júpiter, altura da adolescência, onde somos mais irreverentes e queremos sair, conhecer outros mundos, e tal pode nos ser vedado pela educação, cultura e começarmos aqui a somatizar.

 

É o estágio a que Freud chamou de “fase final de desenvolvimento psicossexual”, onde o adolescente desenvolve um forte interesse sexual pelo sexo oposto. Esta fase começa durante a puberdade, mas passa para o resto da vida de uma pessoa. Aqui começamos o ciclo deste Júpiter que acumula gorduras e os nossos anseios, desejos, interesses de uma forma geral, que podem ser reprimidos e vão somatizar no nosso organismo ao longo do tempo.

 

Uma das grandes lições de Sagitário passa por reavaliar o que aprendeu, o que ensinaram, que religiosidade o rege, e começar por desenvolver mais conhecimento para poder  ligar as peças soltas e criar os seus ideais, a sua filosofia de vida, sem precisar de cortar, ferir, ou até mesmo agir de forma violenta. Sim, Júpiter em luta pela sua verdade pode entrar em lutas desnecessárias, isto porque tem o dom de agir de forma pedagoga, apenas precisa de aprender com o seu oposto, Gémeos, a criar as melhores palavras para agir, e levar os seus ensinamentos aos outros, libertando o seu organismo.

 

Manifestações físicas de Sagitário:

  • Infeções vesicula
  • Mau funcionamento do fígado
  • Problemas na anca
  • Problemas coluna dorsal
  • Dificuldade de digerir os alimentos
  • Alterações no sistema nervoso
  • Dores abdominais

 

A necessidade de viver a vida com entusiamo leva a uma profunda ligação com as vibrações do otimismo, e a convicção da ligação com mundos exteriores, no entanto quando não encontra essa forma de se conectar sente desanimo, tensão, que altera a sua direção de vida porque não encontra o cúmplice, ou a ideologia que o rege, e perde-se em aventuras desnecessárias, ou até mesmo frustradas. Pode assim somatiza dor e indignação com o que se passa à sua volta, o que altera em demasia o seu sistema nervoso.

 

O desejo pela aventura, por aprender coisas novas e por ligar-se a conhecimentos superiores eleva a sua energia, mas procure não convencer ninguém, mas sim ser um exemplo, senão atrasa o seu processo, somatiza toxinas e o seu organismo ressente-se. Uma boa forma é criar a sua ideologia, aventurar-se numa viagem, alimentar a sua fé e permitir-se viver na sua vibração contaminando os outros.

 

Uma frase que poderá ajudar a firmar a sua vida e o seu organismo pode ser “Eu sou suficiente, a minha fé move montanhas, quem quiser que me siga, quem não quiser, que eu seja o melhor exemplo”, ao fazê-lo liberta-se do controlo excessivo, da ligação a ideologias que acha obsoletas e fixa-se no seu caminho, firmando as suas asas e começar a fazer o voo da sua vida.

 

Continua na próxima página…

Artigo anterior

Araucana: a nova marca de slow fashion portuguesa

Próximo artigo

Benefícios da clássica ginástica localizada