Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»As principais tendências de decoração para 2023

As principais tendências de decoração para 2023

Corres berrantes, jardins verticais e eficiência energética estão entre as grandes tendências na decoração e remodelação de interiores.

Pinterest Google+
PUB

A Taskrabbit, plataforma que conecta pessoas que necessitam de ajuda nas tarefas domésticas com Taskers qualificados e fiáveis na sua comunidade local, analisou 3,9 milhões de reservas globais dos últimos 12 meses para obter informações sobre tarefas que estão na moda, e realizou um estudo sobre tendências para casa e interiores em 2022 e como é que as redes sociais influenciam as suas escolhas.

 

O estudo concluiu que mais de metade (55%) dos portugueses se preocupa em ter uma casa que fique bem nas suas redes sociais, mas, globalmente, o fator que mais preocupa os inquiridos é ter uma casa que seja confortável e acolhedora, tal como ter um espaço organizado.

 

Mas onde é que as pessoas encontram inspiração para o design de casa? Embora cada país encontre inspiração numa série de recursos diferentes, globalmente, o Instagram (45%) é ainda onde a maioria das pessoas se inspira para obter ideias de design de interiores. 26% do mundo recorre agora ao TikTok para formar o seu estilo, e espera-se que esta influência continue a crescer até 2023.

 

VEJA TAMBÉM: FLORES DE INVERNO: FRIO NA RUA, CALOR EM CASA

 

Os franceses tendem mais a recorrer ao TikTok (35%) para inspiração em comparação com o resto da Europa, e os britânicos são mais propensos a encontrar as suas tendências para decoração de interiores no Instagram (64%). Por outro lado, nos EUA, o Facebook é a rede social de eleição para se inspirarem, com 46% das pessoas a escolhê-la.

 

Com isto em mente, quais são as tendências para 2023?

 

  1. Cluttercore

O Cluttercore é um movimento anti minimalismo que tem vindo a acumular 74 milhões de visualizações no TikTok. Globalmente, 22% dos utilizadores da plataforma dizem querer dar vida a esta tendência nas suas casas.

 

A Taskrabbit prevê que isto se concretizará através de pavimento cerâmico, acessórios decorativos, cores berrantes, texturas e padrões. O kitsch é o novo preto.

 

  1. Forrar, não descartar

Com orçamentos mais apertados para o próximo ano, é provável que projetos de renovação de casas em maior escala não venham a acontecer do zero. Os inquiridos irão renovar os seus interiores de forma criativa, com algumas tendências já emergentes, por exemplo, a utilização de adesivos de parede para renovar revestimentos de cerâmica (+112%), a forra de armários de cozinha em vez de os trocar (+250%), e a substituição dos puxadores dos armários para dar ao espaço um aspeto fresco (+63%).

  1. Eficiência energética

Com as contas de energia a aumentar neste inverno, os consumidores estão a tomar medidas para reduzir as mesmas. Prevê-se que isto influenciará as escolhas do design de interiores nos próximos meses, com 98% dos inquiridos afirmam que tencionam fazer alterações nas suas casas para ajudar a reduzir as faturas de energia.

 

As alterações mais populares a fazer são cortinas suspensas, janelas à prova de intempéries e a instalação de soluções domésticas inteligentes. Nas reservas da Taskrabbit houve um aumento de até 45% para instalações domésticas inteligentes, enquanto os pedidos de colocação de painéis de parede aumentaram 83%.

 

  1. Design biofílico

Enquanto o interesse pelas plantas de interior está a diminuir (menos 4% dos pedidos mencionam plantas de casa), os pedidos de jardins verticais têm sido solicitados em 76%. A plataforma prevê uma vaga de fontes de água interiores a serem instaladas, juntamente com um aumento da procura de materiais naturais em casa.

 

  1. Estética acolhedora

A previsão é de um aumento de tons mais quentes nas casas em 2023. Os interiores cinzentos e brancos começarão a ocupar um lugar secundário à medida que as pessoas desejam introduzir o calor.

 

As reservas para pintura interior que mencionam cores quentes tais como terracota, pôr-do-sol e laranja queimado já estão a aumentar, com 38% dos participantes deste inquérito a dizer que planeiam introduzir estas tonalidades nas suas paredes no próximo ano.

 

 

Artigo anterior

Os sete pecados digitais a não cometer nesta Black Friday

Próximo artigo

Descubra a Grande Rota da Ria de Aveiro