Home»FOTOS»Saúde e inovação: as grandes tendências da gastronomia para 2020

Saúde e inovação: as grandes tendências da gastronomia para 2020

Com o novo ano à porta, novas tendências começam a emergir nas mais variadas áreas. Também na indústria da restauração. Como é habitual, a Technomic, consultora internacional na área alimentar, revela as grandes transformações que se estão a revelar à mesa dos comensais.

Pinterest Google+

Nunca o mercado da alimentação foi tão dinâmico, com os clientes a servirem de força motora à procura de novas tendências, que se propagam a nível internacional. A Technomic, consultora internacional na área alimentar, lê os sinais e aponta as sete tendências na área da gastronomia que se vão expandir em 2020.

 

Enquanto que algumas tendências já ​​eram esperadas, outras revelam-se um pouco mais surpreendentes. Mas há linhas comuns de conexão entre essas tendências reveladas na nova pesquisa da consultora, e elas passam muito pois dois vetores: a inovação e a oferta na área da saúde.

 

Esta procura está a guiar para a criação de menus com ingredientes cultivados e produzidos de forma sustentável, que se conectam à necessidade da redução de resíduos. Mas esse senso elevado de responsabilidade social não está a acontecer por acaso. Está alinhado com as mudanças nas expectativas dos consumidores, lideradas por estilos de vida em evolução.

 

VEJA TAMBÉM: OS ALIMENTOS MAIS SAUDÁVEIS DE MANHÃ À NOITE

 

Também estão em andamento tendências macrofinanceiras, políticas e da força de trabalho. À medida que fatores económicos globais, implicações políticas e preocupações trabalhistas ganham força, os comportamentos dos consumidores são afetados e as suas sensibilidades estão a ser mais sintonizadas com a equação de valor das refeições. E isso está diretamente vinculado às suas escolhas. Conheça de seguida as grandes tendências para 2020.

 

As cores frias aquecem

Depois do hype de açafrão amarelo, vinho laranja, batata frita com pimentão vermelho e outros alimentos de cores quentes, agora vemos outros tons a aquecerem o mercado: os verdes. Surgem novas variedades de agriões, alfaces e couve híbrida a acumularem-se em pratos como vegetais folhosos familiares. Destaque também para a spirulina, a ervilha-borboleta e as variações roxas de vegetais e ervas comuns, como milho, brócolos, couve, ervilhas, manjericão e batatas.

 

VEJA TAMBÉM: FARFALLE, TORTELLINI, LINGUINE… SABE IDENTIFICAR AS MASSAS?

 

Novas forças da natureza

Os operadores precisarão de procurar novos recursos naturais para manter os menus emocionantes. Partes anteriormente esquecidas de plantas conhecidas, como beterraba, folhas de batata-doce e flor de abacate, receberão atenção como uma forma de redução de resíduos. Outra iniciativa sustentável, as algas marinhas, fará ondas não apenas em lanches, mas também em sobremesas e bebidas, enquanto os feijões marinhos encontram aplicações interessantes. E embora a produção de leite de vaca esteja em declínio, os consumidores estão a aprender que você pode ordenhar praticamente qualquer coisa. Nozes e amêndoa são apenas o primeiro passo. De seguida espere mais leites de fruta e vegetais.

 

Eco-tudo

A sustentabilidade é mais do que uma iniciativa de menu, está emergindo como parte da nova economia circular da indústria de serviços alimentícios, evoluindo de uma abordagem linear de criar-usar-reciclar para criar-usar-reutilizar-sustentar. Os próximos esforços exigirão programas reutilizáveis ​​para copos; dispensadores de controlo de porções para limitar o uso excessivo e o desperdício; guardanapos menores e utensílios de fibra de madeira; fornecimento rastreável de produtos de papel; e mais investimentos em embalagens degradáveis ​​que retornam ao solo. Procure o setor para incorporar uma gama mais ampla de práticas circulares com eficiência de recursos em nome da sustentabilidade – desde a produção de vegetais hidropónicos até novas formas de processar e distribuir as sobras de alimentos.

 

Artigo anterior

Neurocientista explica os hábitos das pessoas organizadas

Próximo artigo

Descubra os melhores destinos europeus para visitar neste outono