Home»COVID-19»As cinco principais burlas praticadas em tempos de Covid-19

As cinco principais burlas praticadas em tempos de Covid-19

O Portal da Queixa alerta para o aumento de burlas nesta altura, sendo que os principais esquemas fraudulentos envolvem a aplicação MB Way, SMS dos CTT, emails da EDP e MEO, passatempos da Worten ou Continente e venda de material de proteção contra o novo coronavírus.

Pinterest Google+
PUB

No primeiro trimestre de 2020, o Portal da Queixa registou 1377 reclamações relativas a esquemas de burla e fraude, representando um aumento de 34% face a 2019, onde foram registadas apenas 1024 reclamações.

 

Desde o início do Estado de Emergência, esta rede social de consumidores registou 356 reclamações enquadradas em burlas e fraudes, um ritmo de 16 queixas por dia. Em tempos confinamento e maior exposição do consumidor às plataformas digitais, o Portal da Queixa alerta a comunidade online para as 5 principais burlas que estão a ser praticadas.

 

As queixas mais apresentadas são por fraudes que se verificam através de pagamentos online, esquemas fraudulentos através de SMS, roubos de identidade e dados pessoais, lojas online fictícias, phishing e outros tipos de cibercrimes. Assim, durante esta fase de pandemia em Portugal, o Portal da Queixa alerta toda a comunidade online para as 5 principais burlas que estão a ser praticadas:

 

VEJA TAMBÉM: COVID-19: FALÊNCIA ECONÓMICA E MORTALIDADE SÃO AS MAIORES PREOCUPAÇÕES DOS PORTUGUESES

 

1 – Roubo de montantes financeiros através da aplicação da SIBS – MB WAY

Os números do Portal da Queixa apontam para um aumento destes casos, na ordem dos 391%, face ao período homólogo. Nos três primeiros meses deste ano, foram registados na plataforma 118 casos, (entre janeiro e março de 2019 foram 24 casos).

 

A solução de pagamento MB WAY da SIBS é extremamente segura e com uma enorme aplicabilidade no dia-a-dia dos consumidores. Aliás, tem vindo a ser essencial nesta fase de confinamento dos portugueses e de combate ao vírus da Covid-19, nomeadamente, para a aquisição de bens de consumo, mantendo a possibilidade de distanciamento social, entre o comprador e o vendedor. Contudo, são muitos os consumidores que ainda não têm o conhecimento suficiente acerca da forma correta de utilização desta aplicação, sendo por isso frequentemente alvo de burla no processo de venda de objetos entre particulares.

 

O método utilizado continua a ser o mesmo, ou seja, o potencial comprador – que é o alegado criminoso -, convence a vítima (interessada no produto à venda), que apenas o pode pagar por MB WAY. No seguimento, convida a vítima a dirigir-se a uma caixa Multibanco e colocar o seu cartão bancário, acedendo ao registo na aplicação MB WAY. Nesse momento, consegue de forma ardilosa que a vítima coloque o número de telefone do alegado burlão, como titular do acesso à conta, permitindo a este o levantamento imediato de montantes em dinheiro. De seguida, desliga o telefone, deixando a vítima sem dinheiro na conta.

 

VEJA TAMBÉM: INTERNET: UTILIZADORES MAIS VELHOS ENFRENTAM MAIOR NÚMERO DE PERIGOS

 

2 – Mensagens de texto (SMS) e emails fraudulentos em nome dos CTT

Têm sido vários os consumidores que, nos últimos dias, receberam um email ou uma SMS em nome dos CTT, com falsos conteúdos para efetuarem o pagamento de uma taxa, no sentido de desbloquear a encomenda de um equipamento telefónico de última geração, que aguarda na alfândega. Ora, o valor proposto, além de muito inferior, ao equipamento, alega igualmente que foi ganho num concurso e, por apenas 1€, o consumidor poderá receber esta fantástica oferta.

 

Será necessário reforçar que o intuito do endereço da ligação para efetuar o pagamento, remete para um site onde o principal objetivo será recolher todos os dados bancários que o utilizador irá fornecer, com vista à utilização indevida destes dados, para acesso às contas bancárias, através do conhecido processo de phishing.

Artigo anterior

O que comer no pós-treino

Próximo artigo

Borrego estufado com couscous de legumes