Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Ano novo, vida velha?

Ano novo, vida velha?

Estamos na primeira semana do ano, mas estará o otimismo elevado acerca dos mais de 350 dias que se avizinham?

Pinterest Google+
PUB

Um ano novo que mais se parece com o velho não parece muito empolgante. No entanto, a mudança de ano surge sempre como um ponto de viragem, como se um novo ciclo começasse com o bater das 12 badaladas. Renovam-se os desejos e a esperança de que o novo ano traga novos desafios, novas conquistas.

 

A chegada de um novo ano representa esperança, prosperidade, expectativa positivas como se fosse uma oportunidade para recomeçar, de fazer tudo diferente e melhor. No entanto, a ânsia por renovação pessoal e profissional pode desencadear a sensação de preocupação excessiva, desconforto e angústia.

 

Surgem múltiplas expectativas impassíveis de concretizar. Formulam-se resoluções de ano novo que quase nunca se cumprem. Em regra, metas inalcançáveis. Urge saber gerir expectativas. O excesso de expectativas pode causar frustração, insegurança, dor e aumento de ansiedade, gerando uma sensação de derrota.

 

Por isso tenha em mente:

  • As 12 badaladas nada mudam, a mudança depende de si. A mudança não deve ser baseada numa data específica, deve ser diária e continua. Valide se precisa mesmo de mudar e se precisar mesmo siga com tenacidade rumo ao objetivo.

 

  • Foque-se no que realmente importa, na verdadeira prioridade de mudança. Querer fazer várias coisas em simultâneo leva a que se atropele e não consiga finalizar nada, gerando mais frustração e agonia, um verdadeiro chamariz para a ansiedade.

 

  • Controle as expectativas, não deixe que condicionem a realidade. Viva cada momento e não o que poderia ou deveria ser.

 

  • Esqueça a teia da comparação, elimine os anseios alheios e olhe mais para si, para as suas próprias vontades, defina o seu foco de mudança.

 

  • A felicidade está nas coisas simples da vida. Valorize-as. Amanhã pode ser tarde demais.

 

  • Lide de forma natural com as derrotas e as perdas, fazem parte da vida. Aceite-as, pois permitem aperfeiçoar-se e não errar novamente.

 

  • O dia de hoje não é igual ao de amanhã, tudo muda, tudo passa, tudo tende a resolver-se. Não catastrofize, analise com discernimento a realidade, vai verificar que há muitas coisas positivas.

 

Em suma, 2021 é para pensar a curto prazo, para viver cada dia. É preciso paciência, sabedoria e esperança para acreditar que a realidade se pode modificar, mas não por magia, mas com foco, persistência e otimismo. Pense nisso!

Artigo anterior

Companhia aérea lança iniciativa para combater tráfico de animais selvagens

Próximo artigo

Churros com chocolate para aquecer uma tarde gelada