Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Amor virtual: mais velhos são os que mais avançam para o encontro presencial

Amor virtual: mais velhos são os que mais avançam para o encontro presencial

Deslizar para a esquerda ou para a direita na aparentemente interminável busca do amor tornou-se numa segunda natureza para os jovens. Mas, de acordo com a nova pesquisa da Mintel, são os utilizadores mais velhos que têm mais probabilidade de dar o próximo passo e de se encontrarem pessoalmente.

Pinterest Google+

Cerca de 67% dos utilizadores de aplicações de relações amorosas com idades entre os 45 e os 64 anos avançam das plataformas virtuais para os encontros na vida real, sendo esta a faixa etária com maior probabilidade de encontrar o amor desta forma, avança a nova pesquisa da consultora Mintel.

 

Já na faixa de utilizadores com idade entre 18 e 24 anos esta percentagem desce para 56%.  Mas no geral, entre todos os utilizadores deste tipo de aplicações de encontros, 63% parte para o conhecimento físico, segundo esta pesquisa realizada no Reino Unido.

 

VEJA TAMBÉM: CLICHÉS NO ONLINE DATING: O QUE NUNCA DEVE DIZER NO SEU PERFIL

 

Outros dados indicam que, enquanto nas plataformas, os jovens são mais propensos a namorar virtualmente: mais de quatro em 10 (44%) jovens britânicos (18-24 anos) usaram sites de namoro / aplicações com este fim. Enquanto isso, pouco mais de um terço (36%) dos 25-44 anos indicaram que se interessava por este tipo de serviços, seguidos por 13% dos 45-64 anos e por 7% dos que tinham mais de 65 anos.

 

«Embora o namoro online seja normalmente associado a pessoas mais jovens, na verdade, os utilizadores mais velhos têm mais hipóteses de encontrar os seus pares pessoalmente. Isto indica uma diferença no que as pessoas estão à procura ao usarem estas plataformas. Os utilizadores mais jovens são mais propensos a apreciar o aspeto de jogo e o processo de interagir e explorar novas relações no espaço online, sem necessariamente ter a intenção de levar as coisas adiante. Embora as pessoas mais velhas tenham uma probabilidade significativamente menor de usar ferramentas de namoro online, quando o fazem, é mais provável que a intenção genuína seja conhecer alguém», comenta Rebecca McGrath, analista de pesquisa da Mintel.

 

 VEJA TAMBÉM: PROCURA O AMOR NA INTERNET? VEJA ESTES CUIDADOS A TER

 

Medos e desejos

Mais da metade (56%) das pessoas que não usam plataformas de namoro, mas gostariam de conhecer um novo parceiro não o fazem porque preferirem conhecer pessoas presencialmente. Outros 37% desses utilizadores em potencial estão preocupados em ser enganados por um perfil falso; enquanto um quarto (26%) se preocupa com interações negativas no site / aplicação, como receber fotos inapropriadas. Na verdade, mais de 44% dos que usaram estas plataformas gostariam de ver proibidas pessoas por comportamento inadequado nestes locais virtuais.

 

Finalmente, parece que os inquiridos estão mais propensos a usar aplicações de namoro a fim de encontrarem relacionamentos de longo prazo (61%), ao invés de curto prazo (39%).  Mas os homens estão significativamente mais propensos do que as mulheres a procurar relacionamentos de curto prazo: 47% dos homens contra 27% das mulheres.

 

VEJA TAMBÉM: COMO MANTER A CHAMA ACESA À DISTÂNCIA

 

As idades também mostram diferenças. Cerca de 68% dos utilizadores com mais de 45 procuram relacionamentos duradouros, em comparação com 58% dos utilizadores com idade entre 18 e 44 anos.

 

«As diferentes motivações criam potencialmente uma desconexão dentro do mundo do namoro online, já que as mulheres são significativamente mais propensas a querer um relacionamento de longo prazo. Por essa razão, oportunidades e incentivos claros para indicar o tipo de conexão que as pessoas estão a procurar devem sempre estar disponíveis, mesmo se um site / aplicação não puder controlar se uma pessoa os usa honestamente», conclui a analista.

 

Artigo anterior

Primeiras impressões moldam relações mais do que pensamos

Próximo artigo

Adote o seu agricultor (e saiba o que consome)