Home»VIDA»DIREITOS HUMANOS»Amnistia Internacional congratula-se com rejeição do pedido de extradição de Julian Assange para os EUA

Amnistia Internacional congratula-se com rejeição do pedido de extradição de Julian Assange para os EUA

A organização de defesa dos direitos humanos salienta, no entanto, que tal decisão não isenta o Reino Unido de ter se envolvido neste processo com motivações políticas.

Pinterest Google+
PUB

A Amnistia Internacional acaba de saudar a decisão do Reino Unido de rejeitar o pedido de extradição de Julian Assange para os Estados Unidos da América.

 

«Congratulamo-nos com o facto de Julian Assange não ser enviado para os EUA e de o tribunal ter reconhecido que, devido aos seus problemas de saúde, ele correria o risco de sofrer maus-tratos no sistema prisional dos EUA», começa por indicar o diretor para a Europa da Amnistia Internacional, Nils Muižnieks.

 

O mesmo responsável afirma ainda que «as acusações nunca deveriam ter ocorrido. As acusações tinham motivações políticas e o governo do Reino Unido nunca deveria ter ajudado os EUA, de forma tão voluntariosa, na perseguição implacável a Assange», prossegue.

 

Porém, «o facto de a decisão ser correta e salvar Assange da extradição não isenta o Reino Unido de ter se envolvido neste processo com motivações políticas, a mando dos EUA, e de colocar em julgamento a liberdade de imprensa e de expressão. Estabeleceu um precedente pelo qual os EUA são responsáveis ​​e o governo do Reino Unido é cúmplice», nota Nils Muižnieks.

 

Recorde-se que o pedido de extradição dos EUA baseia-se em acusações relacionadas com a divulgação de documentos referentes ao Governo dos EUA por Assange no Wikileaks. Informações que a AI recorda serem a pedra angular da liberdade de imprensa e do direito do público à informação sobre o Governo e eventuais transgressões.

 

Se extraditado para os EUA, Julian Assange poderia ser julgado por 18 acusações, 17 delas sob a Lei de Espionagem; e uma sob a Lei de Fraude de Computador. Assange também enfrentaria um risco real de graves violações dos direitos humanos devido às condições de detenção que poderiam equivaler a tortura ou outros maus-tratos, incluindo confinamento solitário prolongado, refere a AI.

 

Artigo anterior

Eu sou Carneiro: as principais características deste signo

Próximo artigo

Viva sem plástico na casa de banho