Home»VIDA»DIREITOS HUMANOS»Amadora lança campanha de sensibilização contra violência doméstica

Amadora lança campanha de sensibilização contra violência doméstica

Sob o claim “Faça-se Ouvir”, a campanha visa reduzir os comportamentos de violência doméstica, sejam estes infligidos a nível psicológico, físico, sexual, social ou económico, e ajudar as vítimas a identificarem os comportamentos abusivos e a denunciá-los.

Pinterest Google+
PUB

A Câmara Municipal da Amadora está a promover uma campanha de informação e sensibilização contra a violência doméstica no concelho. Esta campanha realiza-se no âmbito do IV Plano Municipal Contra a Violência e está integrada no Plano de Desenvolvimento Social e de Saúde 2018-2025, em implementação no município da Amadora, assente na importância de dar resposta às necessidades e áreas que estruturam a violência doméstica enquanto problema social, informa a edilidade em comunicado.

 

O objetivo da campanha, realizada essencialmente através das redes sociais do município, e com mupis espalhados pela cidade, é alertar e sensibilizar a comunidade para a problemática da violência familiar, promovendo a identificação e denúncia das situações de crime por parte dos munícipes que estejam a vivenciar ou presenciar uma situação de violência doméstica.

 

A campanha alerta para exemplos de comportamentos que podem constituir situações de relações violentas e/ou abusivas e incentiva à sua denúncia através da Linha Municipal de Apoio Social – 800 207 632 ou e-mail: accao.social@cm-amadora.pt e dá a conhecer o Serviço de Atendimento Especializado a Vítimas de Violência Doméstica (SAEVV).

 


 

A campanha foi desenvolvida pela consultora de comunicação, Catch Global Marketing, sob o claim “Faça-se Ouvir” e com a mensagem central “O Poder é seu. Por si e pelos outros, para acabar com a violência doméstica.”

 

Segundo a agência, esta campanha implicou o desenho de uma estratégia integrada de comunicação multicanal, em que o conceito, as imagens, as mensagens, o tom e o estilo comunicacional escolhidos tiveram em consideração que este flagelo da violência doméstica é transversal a toda a sociedade, independentemente do género, idade, etnia ou classe social, mas em que as vítimas continuam a ser sobretudo mulheres.

 

VEJA TAMBÉM: COMO AJUDAR QUEM SOFRE DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

 

Segundo Ana Moreno, chefe da Divisão de Intervenção Social da CMA, os grandes objetivos que queremos atingir com esta campanha são «prevenir e reduzir os comportamentos de violência doméstica, sejam estes infligidos a nível psicológico, físico, sexual, social ou económico; ajudar as vítimas a identificar comportamentos e motivá-las a denunciar mais cedo a situação, mas que terceiros conhecedores destes atos também o façam; e também divulgar o Serviço de Atendimento Especializado a Vítimas de Violência (SAEVV), dinamizado pela divisão de intervenção social desta autarquia».

 

Esta campanha vai estar presente em diversos formatos, nos meios offline e online, incluindo mupies, cartazes, flyers, um vídeo e teasers para redes sociais e web.

 

 

 

 

Artigo anterior

ONU lança a primeira ferramenta de inteligência artificial para contabilidade rápida de capital natural

Próximo artigo

Maximize o seu prato: os alimentos mais completos e ricos em nutrientes