Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Alimento é vida – letra D

Alimento é vida – letra D

É no prato que começa a nossa saúde. Um prato colorido, rico em nutrientes saudáveis, gera um ser humano saudável desde o nascimento.

Pinterest Google+

A revista ‘Visão’ neste mês de dezembro traz um artigo intitulado “O Algoritmo da Cura – que nos ajuda a prever epidemias, a fazer diagnósticos, a curar doenças graves e, pelo caminho, ainda diminui os custos da saúde. É o admirável mundo novo da medicina com base na informação genética – ainda está no seu início, mas já salva vidas”.

 

Estas palavras remetem-me para um artigo escrito por mim, o ano passado, com o título, ” Epigenética -A Visão Além da Genética”, onde eu abordo este tipo de informação cientifica tão importante para a nossa saúde, porque a prevenção é ainda o melhor de todos os remédios.

 

Esta é uma das razões que me torna persistente ao trazer-vos todos os meses conselhos e pequenas receitas de cuidados alimentares. É no prato que começa a nossa saúde. Um prato colorido, rico em nutrientes saudáveis, gera um ser humano saudável desde o nascimento.

 

Hoje, a crónica Alimento É Vida explica quais os alimentos com a letra D que podem ser o seu nutracêutico (alimentos que nutre e trata) mesmo nesta época de Natal, onde podemos aliarmos o tradicional ao saudável.

 

Alimentos:

Damasco, diospiro, dendê.

 

Vitamina:

A vitamina D é importante para o nosso metabolismo, porque ajuda-nos a absorver o fósforo e o cálcio, minerais importantes para a saúde dos ossos e dentes. É chamada por muitos de “vitamina sol”, porque o nosso corpo absorve-a pela exposição ao sol. Se observarmos a natureza, a maior parte dos animais expõe-se ao sol duas vezes ao dia, um hábito que nós humanos deveríamos ter em consideração, para preservarmos os níveis corretos de absorção desta vitamina. Nos alimentos podemos encontrá-la nos peixes gordos, como o salmão, a sardinha, o carapau, atum, ovos, cogumelos, laranja e também no óleo de fígado de bacalhau.

 

Fitoterápico com letra D:

Dente de leão, esta planta é considerada um tónico hepático, diurético e depurativo do sangue, agindo nos rins e fígado, sobretudo nesta época festiva em que se cometem excessos no consumo de bebidas, queijos e alimentos gordos. Pode ser consumida em saladas, sumos, batidos e chás.

 

Receita funcional de Natal

Damasco seco em batata doce assada no forno.

Ingredientes:

4 damascos secos, 1 batata doce bem lavada, 1 quadrado de papel vegetal, 1 colher de café de pós de canela e 4 nozes inteiras.

 

Preparação:

Abra os damascos ao meio e recheie-os com as nozes. Faça um golpe profundo na batata doce e coloque-os na batata. Polvilhe com a canela em pó e envolva no papel vegetal molhado previamente. Leve ao forno a assar por 45 minutos.

 

Prepare quantas batatas quiser, este alimento pode substituir uma sobremesa ou pode acompanhar um prato de salada, tornando-se num alimento completo, que sacia a fome emocional e beneficia o intestino e facilita a boa digestão.

 

O damasco contém muita vitamina A, ferro, potássio, fibra e apenas contém 40 calorias. Dois damascos fornecem aproximadamente 2 grs de fibra, cerca de 8% da quantidade diária necessária ao nosso metabolismo intestinal, isto aliado à fibra da batata doce e ao Omega das nozes, estamos a consumir um poderoso nutracêutico, guloso no sabor e benéfico para o nosso bem-estar.

 

O alimento saudável também pode ser um alimento que nos dá prazer, basta sabermos fazer as combinações certas. Lembro mais uma vez que, em caso de doença, consulte sempre um especialista, não faça auto-suplementação. Desejo a todos um Natal Feliz.

 

 

 

Artigo anterior

Plataforma portuguesa permite ter várias consultas ou aulas sem sair de casa

Próximo artigo

Recordes de luzes de Natal pelo mundo