Home»GLAMOUR»CELEBRIDADES»Agora pode ter Christina Aguilera e Kevin Spacey como professores online

Agora pode ter Christina Aguilera e Kevin Spacey como professores online

Encomendar comida, alugar um carro ou aprender uma nova língua tornou-se mais fácil com a 'geração das aplicações' em que vivemos. Dentro deste setor, a educação online é uma das áreas que mais tem evoluído.

Pinterest Google+

‘Masterclass’ é a novidade que chegou à capital da inovação tecnológica e que revoluciona qualquer outro conceito de aula online. Esta aplicação terá agora como professores Kevin Spacey e Christina Aguilera.

 

Desde a sua estreia, em maio de 2015, a aplicação já adquiriu cerca 30 mil alunos que pagam em média 83 euros por curso, sendo que cada curso consiste, geralmente, entre 10 a 25 aulas.

 

A ideia de colocar celebridades reconhecidas pelo público está em voga e tem sido a grande aposta de várias empresas da área. ‘Masterclass’ teve um primeiro investimento de 3,5 milhões de euros e já conta com um segundo financiamento de 14 milhões de euros.

 

Ao aderir a esta aplicação, terá como professor de interpretação Kevin Spacey que, neste momento, se prepara para o lançamento da nova temporada da série ‘House of Cards’ (‘Casa de Cartas’, em português).  Na disciplina de canto, terá Aguilera como professora, que se propõe ajudar o aluno a encontrar o registo em que mais se enquadra dependendo do seu tipo de voz.

 

Veja a galeria: As campanhas em que as modelos andam a trabalhar

 

No entanto, se não for fã de Aguilera ou de Spacey, tem a opção de ser aluno de Dustin Hoffman, aprender ténis com Serena Williams, fotografia com Annie Leibovitz e, até mesmo, aprender algumas bases de R&B com o famoso Usher. É você que escolhe o que quer aprender e com quem.

 

‘MasterClass’ é uma empresa que conta com 22 funcionários. David Rogier, o fundador da marca, começou o projeto há dois anos na sequência de uma pergunta: «Por que não ter  aulas com os melhores? A maioria dos serviços de educação online não acredita no mundo real», contou Rogier ao ‘El País’. Para o fundador, as celebridades não servem apenas como um meio para fazer publicidade, mas também para manter o aluno interessado.

 

«O que se procura com as aulas virtuais é chamar à atenção do alvo. Na internet, há muitas distrações. Se o professor não souber motivar, os resultados não são alcançados», disse Christian Der Henst, fundador da Platzi, uma aplicação dedicada à educação computacional, ao ‘El País’.

Artigo anterior

Chiara Ferragni é a nova embaixadora da Amazon Fashion

Próximo artigo

Petição mundial exige conhecer composição dos tampões