Home»FOTOS»Afinal, a pizza é saudável ou não?

Afinal, a pizza é saudável ou não?

Há os alimentos claramente saudáveis e os claramente prejudiciais à saúde. E depois há aqueles que oscilam entre os pratos da balança. A pizza é um deles, mas não só. Descubra como pode ter o melhor dos dois mundos - sabor e saudável - sem por a sua saúde dieta em risco.

Pinterest Google+

Em alturas em que o rigor com a alimentação aumenta, muitos alimentos são literalmente banidos da dieta. Maioritariamente com razão. Mas este não tem de ser um corte fundamentalista, até porque dietas radicais nunca resultam. Tudo depende do que constitui o alimento, não da essência do alimento em si.

 

Voltemos então ao título do artigo e a resposta é esta: a pizza é saudável, mas também não é. Tudo depende dos ingredientes, como a quantidade de queijo, por exemplo.  Porém, alguns especialistas apontam benefícios na pizza em relação ao queijo que oferece cálcio, e em relação ao tomate que ajuda no combate a doenças devido ao licopeno. Além disso, a crosta de pizza feita com farinha de trigo integral é mais saudável do que a crosta branca regular, pois oferece grãos inteiros e mais fibra. E, se for fina, não acrescenta um grande aporte de hidratos de carbono. E, ainda, se forem fatias finas cobertas com vegetais tendem a ter menor teor de calorias, gordura saturada e sódio.

 

VEJA TAMBÉM: REDUZA AS TOXINAS NA ALIMENTAÇÃO: DA ESCOLHA DOS ALIMENTOS À SUA PREPARAÇÃO

 

Mas – claro que este delicioso alimento tem um ‘mas’ – os ingredientes que acrescenta na cobertura podem afetar siginificativamente o valor nutricional da pizza. Bacon, salsicha, queijo extra são alguns exemplos que podem aumentar as quantidades de gordura saturada, sódio e calorias. E massa feita com farinha branca também não contribui para a sua boa fama.

 

As pizzas congeladas podem ser, por vezes, um jantar conveniente, mas também podem variar em termos de ingredientes e valor nutricional. Como tal, é sempre importante ler os rótulos cuidadosamente antes de comprar. Atualmente, também existem pizzas vegan ou sem glúten, mas, tal como os seus homólogos tradicionais, a sua salubridade também varia.

 

VEJA TAMBÉM: O QUE COMER NA PRAIA? FAÇA A LANCHEIRA CERTA

 

Uma análise recente levada a cabo pelo Centro de Prevenção e Controlo das Doenças (CPCD) americano diz que as crianças estão a consumir sal em excesso, para o que deveria ser a sua ingestão diária. Estes alimentos provêm de várias fontes, mas são sobretudo de alimentos processados, entre os quais a pizza. Repetimos, processados. E são inúmeros os estudos que apontam a fast-food como uma das causas que fomentam a obesidade.

 

Se é amante de pizza, o maior conselho que a MOOD lhe pode dar é fazer a sua pizza em casa. Desta forma, tem maior controlo sobre os valores nutricionais da sua refeição. Não diabolizando alimentos, mas tendo conhecimento e informação sobre o que se está a ingerir. Assim, é possível saborear pizza de forma equilibrada e saudável. Pizza e não só. Veja agora, na galeria acima, outros alimentos que também oscilam entre os saudáveis e o pouco saudáveis.

Artigo anterior

Tirar selfies duplica risco de contrair piolhos

Próximo artigo

Ainda falta muito para chegar? 49 minutos até as crianças se aborrecerem nas viagens longas