Home»GLAMOUR»BELEZA»A procura pela mudança estética no combate à melhoria da autoestima dos jovens

A procura pela mudança estética no combate à melhoria da autoestima dos jovens

Se anteriormente a cirurgia plástica e a medicina estética estavam associadas apenas a paradigmas de combate ao envelhecimento e, consequentemente, a uma procura realizada por uma faixa etária superior, hoje podemos afirmar que essa é uma ideia desatualizada e irrealista.

Pinterest Google+
PUB

03Atualmente, a procura por mudanças corporais e faciais, de cariz estético e funcional, que impliquem intervenções cirúrgicas ou procedimentos menos invasivos, têm ganho um lugar cada vez mais consolidado junto dos adolescentes.

 

A preocupação com a imagem acompanha os jovens desde sempre, principalmente agora que redes sociais como o Instagram e o Tik Tok ampliaram o leque de comparações e de visibilidade social, evidenciando o desejo de melhorar determinados aspetos físicos que não gostavam em si.

 

A vertente estética tem sido o centro desta procura, no entanto, não podemos deixar de focar também no papel fundamental que muitas cirurgias plásticas têm ao nível funcional e de correções físicas que melhoram o dia a dia de muitos jovens.

 

VEJA TAMBÉM: AUTOESTIMA: PRECISA-SE!

 

Nas mulheres, como principais cirurgias plásticas, de cariz funcional, assinalamos as mamoplastias, com ou sem implantes, indicadas para corrigir assimetrias mamárias, deformações da glândula como mama tuberosa e ptoses, originadas num desenvolvimento da glândula de forma não equilibrada, assim como para seios muito grandes e pesados que conduzem a problemas e dores nas costas, interferindo com atividades diárias.

 

Estas intervenções na adolescência têm um cariz psicológico forte e limitam o desenvolvimento social principalmente em atividades que requerem a utilização de fatos de banho ou balneários.

 

Na vertente estética, para além do popular aumento mamário, contamos com a procura das mais variadas cirurgias corporais e faciais desde que tenham um elemento comum – a melhoria da perceção da imagem que têm de si próprios. Assinalamos entre as principais, a rinoplastia e a otoplastia – infelizmente originadas por vezes no bullying.

 

Ao nível do contorno corporal, há uma procura cada vez maior pela lipoescultura da barriga, ancas e coxas, sendo que Lipo de Alta-definição – bodysculpting®, técnica exclusiva da Up Clinic, tem-se destacado nos últimos dois anos. Os motivos são a correção das desproporções entre o tronco e os membros inferiores, e a procura por uma barriga “fit

 

Já no sexo masculino, as cirurgias nesta faixa etária representam cerca de 20%, contrastando com os cerca de 10% na população > 20anos. Salientamos a correção do excesso de mama, ginecomastia, que apresenta um crescimento significativo visto ser uma condição que afeta 50% dos homens adultos e permite remover o tecido em excesso.

 

Ao nível da face, centramo-nos na rinoplastia e otoplastia, a correção das orelhas proeminentes ou as conhecidas «orelhas em abano», cirurgia realizada também em crianças, a partir dos cinco anos.

 

Relativamente a procedimentos não cirúrgicos, predominam essencialmente entre os jovens os tratamentos de acne, realizados através de peelings, que renovam a pele com resultados evidentes na sua textura.

 

Gráfico

A questão psicológica

Estas intervenções têm um papel essencial na melhoria da autoestima e confiança destes adolescentes, seja por motivos funcionais seja a níveis estéticos. É importante salientar que estas mudanças devem ser alicerçadas nos motivos certos e conscientes, sendo fundamental uma pesquisa anterior a qualquer decisão.

 

Enquanto cirurgião plástico, é crucial que saibamos fazer uma primeira triagem e descartar a hipótese de apresentarem sinais de transtorno dismórfico corporal, a preocupação extrema com defeitos inexistentes ou subtis da sua aparência que acaba por condicionar a sua capacidade funcional, sendo que, nestes casos, são encaminhados para acompanhamento psicológico.

 

E é aqui que entra também o papel consciente do cirurgião plástico ou do médico de medicina estética, para que sejam discutidas e geridas as expectativas apresentadas pelos jovens e para que estejam informados sobre quais os objetivos possíveis e não possíveis de alcançar.

 

Por Tiago Baptista Fernandes

Diretor Clínico de Cirurgia Plástica da Up Clinic

 

 

 

 

Artigo anterior

Ojas: o brilho do sistema imunitário segundo a Ayurveda

Próximo artigo

Museu da Extinção Marinha mostra importância das áreas protegidas em Portugal