Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»A primeira raia bebé a nascer no Sea Life Porto é apresentada e precisa de um nome

A primeira raia bebé a nascer no Sea Life Porto é apresentada e precisa de um nome

A nova inquilina nasceu em setembro, mas esteve de quarentena e só agora é apresentada ao público. Ainda sem nome, a escolha vai estar em votação no Facebook do aquário.

Pinterest Google+

Há uma nova inquilina no SEA LIFE Porto, a primeira da família a nascer “dentro de portas”. A raia bebé da espécie Rhinoptera bonasus, mais conhecida como raia Focinho de Vaca, nasceu em setembro fruto do amor de duas raias do aquário portuense e é agora, pela primeira vez, apresentada ao público.

 

Viveu em quarentena desde setembro para se conseguir tornar independente e agora já está apta para regressar aos “braços” da mãe. Cinco meses após o nascimento, a raia bebé volta hoje para junto da família. Para celebrar o acontecimento, que ocorre no mês do amor, o SEA LIFE Porto preparou ainda mais surpresas.

 

Além da raia que os miúdos e graúdos vão poder agora conhecer – e cujo nome vai estar em votação no Facebook do SEA LIFE Porto -, no mês de fevereiro há mini palestras e sessões de alimentação todos os dias da semana. Veja abaixo o vídeo da raia bebé.

 

Às segundas, quartas e sextas, pelas 15h30, é possível descobrir mais sobre a vida dos cavalos-marinhos. A espécie é conhecida no fundo dos oceanos pela reprodução única, uma vez que são os machos a transportar as crias, ao invés das fêmeas.

Para os que preferirem saber mais sobre os peixes-palhaço, os “Nemo” da casa, podem assistir às palestras e alimentação às quintas e domingos, pelas 11h30. Sabia que todas as crias nascem machos e só um por grupo é que torna fêmea? Esta é uma das curiosidades por descobrir.

 

Para fechar o ciclo de palestras e alimentações, às terças e sábados, pelas 11h30, é a vez de saber mais sobre o polvo. No mês do amor, estas criaturas estão em destaque pela forma como se reproduzem, uma vez que as fêmeas, depois de colocarem os ovos e cuidarem deles até eclodirem, acabam por morrer.

 

Artigo anterior

Quarto de adolescente: agradar a gregos e a troianos

Próximo artigo

Lasanha vegetariana: deliciosa e nutritiva