Home»ATUALIDADE»EDITORIAL»A palavra do ano: sustentabilidade

A palavra do ano: sustentabilidade

Num espaço temporal de menos de um mês, várias iniciativas mostram que o mundo está também a evoluir no bom sentido. É necessário cuidar do planeta, para cuidarmos de todos nós. Por isso, quanto a nós, sustentabilidade é um termo que vamos ouvir falar muito neste ano. E ainda bem!

Pinterest Google+

Ainda o ano vai no início e já várias notícias saíram que mostram que o mundo está a abraçar esta dinâmica da sustentabilidade.  A Comissão Europeia, por exemplo, aprovou a primeira estratégia europeia concertada para resíduos de materiais plásticos. Mais concretamente, até 2030, todas as embalagens de plástico no mercado da União Europeia deverão ser recicláveis, o consumo de objetos de plástico descartáveis será reduzido e a utilização intencional de microplásticos será restringida. E é uma excelente notícia, pois elenca todo um continente numa nova dinâmica que visa a economia circular, logo, reciclável.

 

E esta dinâmica atravessa já vários setores. Recentemente, em Düsseldorf, decorreu a anual PSI, a maior feira da Europa dedicada aos produtos promocionais.  E os conceitos de biológico, comércio justo e natural estiveram muito presentes nesta edição. «Há uma tendência inconfundível em relação à sustentabilidade e produtos de alta qualidade», comenta Michael Freter, diretor-geral da PSI. O último barómetro da PSI ressalta essa afirmação: mais de 90 por cento dos quase 1000 fornecedores possuem produtos certificados nas suas ofertas. E em mais de metade dos fornecedores e distribuidores esta percentagem já chega a 30% da sua oferta.

 

Nesta feira, mais uma medida que pode parecer um pequeno gesto, mas que se pode propagar como o faz um bater de asas de uma borboleta. A própria feira quis alavancar esta tendência da sustentabilidade, ao ter-se tornado na primeira exibição do género a nível mundial a eliminar os copos de plásticos dos seus corredores de expositores. Para beber café, chá ou água, os visitantes este ano fizeram-no em copos de porcelana, que eram depois devolvidos, evitando o desperdício de milhares de copos de plástico, inimigos da sustentabilidade.

 

Falemos de moda agora – e tudo isto, em janeiro de 2018. A Ethical Fashion Show, que decorreu de 16 a 18 de janeiro, em Berlim, na Alemanha, mostrou que o mercado está cada vez mais recetivo a este tipo de produtos. A única plataforma na Europa dedicada exclusivamente à moda ética e sustentável está a crescer, e a participação de Portugal também. Portugal tem vindo a participar ao longo dos anos com algumas marcas, mas este ano participou com dez.   Através do Cenit, participação que é apoiada pelo Portugal 2020, participam quatro marcas, nomeadamente a NAE Vegan, a Elementum, a Näz e a Light Factory.  A título individual participam a Ten Points, a Marita Moreno, a Ultrashoes, a Toddler / WAT, a Kozii e a Green Boots.

 

Claro que, ao falarmos de sustentabilidade, temos de falar de nutrição, de alimentação saudável e de produtos biológicos. Recordemos então a Estratégia Integrada para a Promoção da Alimentação Saudável, divulgada pelo Governo no final de dezembro, e que documenta um conjunto de propostas de intervenção, consensualizadas por um grupo de trabalho interministerial, com base em recomendações da Organização Mundial da Saúde e da Comissão Europeia.

 

Fazer com que o consumo de sal per capita se aproxime de 5 g/dia em 2020; fazer com que o consumo diário de açúcar simples se aproxime de 50 g/dia e um máximo de 25 g/dia em menores de idade em 2020; e fazer com que o consumo de ácidos gordos trans se aproxime de zero em 2020, são três dos vários objetivos que constam da EIPAS.

 

E esta estratégia já ultrapassou fronteiras. A Organização Mundial de Saúde deu a conhecer ao mundo esta Estratégia, elogiando o facto de ser a primeira vez que uma abordagem interministerial foi levada a cabo para trazer mais saúde aos portugueses. E diz que Portugal está bem posicionado para desempenhar um papel de liderança na Europa nesta batalha.

 

Temos, portanto, num espaço temporal de menos de um mês, várias iniciativas que mostram que o mundo está também a evoluir no bom sentido. É necessário cuidar do planeta, para cuidarmos de todos nós. Por isso, quanto a nós, sustentabilidade é um termo que vamos ouvir falar muito neste ano. E ainda bem!

 

Artigo anterior

Está difícil a dieta? Estratégias para emagrecer sem passar fome

Próximo artigo

Vai abrir um hotel bem no meio de um glaciar no Alasca