Home»ATUALIDADE»EDITORIAL»A nova peste

A nova peste

Pinterest Google+
PUB

David Bowie, Alan Rickman, René Angélil (marido de Céline Dion) morreram todos de cancro, nos últimos dias. Céline Dion perdeu também o seu irmão para o cancro nestes dias.

 

Sofia Ribeiro e, mais recentemente, Gonçalo Diniz deram a conhecer que também sofrem da doença. E são jovens.

 

A atualidade tem sido rica em notícias de famosos, alguns ricos, que sucumbiram ou estão a lutar contra a doença. Mas o dinheiro aqui pouco interessa.

 

Dizem os especialistas que é a epidemia do novo século. E é mesmo, já que atualmente uma em cada três pessoas irá desenvolver cancro em alguma altura da sua vida. Daqui a 20 anos, as previsões dizem que será uma em cada duas pessoas. Ou seja, metade da população mundial.

 

Infelizmente, ainda não há cura. Há muitos que se conseguem tratar, mas fica sempre a espada em cima da cabeça de quem já desenvolveu cancro e conseguiu livra-se dele. Muitos sucumbem.

 

E porquê tudo isto? Deve-se ao estilo de vida ocidental. De há umas décadas a esta parte, temo-nos alimentado de produtos produzidos à pressa, cheios de hormonas, pesticidas, conservantes, corantes, aditivos e tudo o mais que não convém ingerir. Mudámos a biologia das coisas. O ar que respiramos está poluído. As radiações da terra já foram, por isso, melhores. Estamos constantemente a ser agredidos, mesmo que levemos uma vida saudável. De alguns fatores, não há como fugir, a não ser que mudemos de planeta.

 

O cancro é uma doença do mundo desenvolvido. E isso já está provado cientificamente. Já foram estudadas comunidades de emigrantes que não tinham cancro na sua terá natal e, ao mudarem-se para países desenvolvidos, os seus descendentes começaram a desenvolver a doença.

 

E a cura? O problema do cancro é que são células nossas e, qualquer tratamento que afete as células cancerígenas, grosso modo, também afeta o resto do organismo. Tem sido esta a dificuldade. É uma luta contra nós próprios.

Sobre isto, apresentaremos brevemente uma entrevista a uma investigadora que nos dará conta do estado em que está a investigação mundial na luta contra o cancro. Fiquem atentos.

Artigo anterior

A falência da massificação

Próximo artigo

Celebridades com causas humanitárias