Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»A mochila do seu filho prejudica a saúde?

A mochila do seu filho prejudica a saúde?

A Organização Mundial da Saúde recomenda que as crianças e jovens em idade escolar carreguem mochilas apenas com menos de 10% do peso do seu corpo.

Pinterest Google+
PUB

As mochilas que as crianças carregam, pela frequência e o tempo prolongado com que o fazem ao longo de todo o ano, devem ser devidamente adaptadas, para prevenir lesões associadas ao seu mau uso.

 

Os estudos demonstram que o uso inadequado das mochilas é um fator determinante para as doenças musculoesqueléticas, que representam uma elevada carga de doença nas crianças em idade escolar. Assim, nesta altura em que se adquire/recicla material escolar, é importante que pais, educadores e profissionais de saúde estejam alerta para alguns pontos sobre este tema.

 

O peso das mochilas das crianças é um dado fundamental. Estima-se que mais de metade das crianças em idade escolar transportam mochilas com peso excessivo. A Organização Mundial da Saúde recomenda que as crianças e jovens em idade escolar (dos 6 aos 18 anos) carreguem mochilas apenas com menos de 10% do peso do seu corpo. Ou seja, se uma criança pesar 30 quilos, a sua mochila não deve ultrapassar os 3 quilos.

 

VEJA TAMBÉM: TORNE O REGRESSO ÀS AULAS MAIS FÁCIL PARA OS SEUS FILHOS

 

Além do peso, também o tamanho e o formato da mochila são relevantes. Ou seja, a mochila deve ter, no máximo o tamanho das costas da criança e deve estar devidamente ajustada para ficar a base do pescoço e o fundo das costas, junto ao corpo.

 

Desta forma, evita-se que a criança tenha que se inclinar para a frente e adquira má postura. A mochila deve também possuir duas alças e deve ser colocada centrada nas costas, usando sempre as duas alças em simultâneo.

 

Não ter atenção a estas características pode ter impacto negativo na saúde. As crianças em idade escolar estão numa fase de crescimento e é nesta fase que surgem muitos dos problemas posturais.

 

Usar, repetidamente, uma mochila demasiado pesada, mal-adaptada às costas ou só num ombro numa idade precoce vai conduzir, a curto prazo, ao aparecimento de dores de costas e de pescoço. A médio prazo levará a alterações da marcha e da postura e a longo prazo pode provocar lesões degenerativas da coluna que alteram o crescimento do corpo.

Há várias estratégias a que os pais e encarregados de educação podem recorrer para minimizar o impacto das mochilas:

  • Optar por mochilas com rodinhas
  • Quando possível, escolher materiais mais leves
  • Distribuir adequadamente o material escolar dentro da mochila, colocando os objetos mais pesados junto às costas
  • Colocar na mochila apenas o material necessário para o dia em causa
  • Não transportar materiais que não são necessários. Por exemplo, deixar os livros que não são necessários para estudar em casa nesse dia em cacifos na escola
  • Usar a mochila o menor tempo possível carregada nas costas
  • Ajustar a mochila carregada à altura das costas, usando as duas alças em simultâneo

 

Os pais e encarregados de educação desempenham um papel primordial nas questões da redução do peso e uso correto das mochilas.

Oriente o seu filho sobre a forma mais adequada de organizar e transportar a mochila. Supervisione a preparação da mochila de acordo com o horário escolar. Estará a proteger a saúde da criança!

 

 

 

Artigo anterior

Dermatite atópica: 10 a 20% das crianças sofrem desta doença

Próximo artigo

Quiche de cogumelos e charcutaria