Home»GLAMOUR»BELEZA»A idade certa para iniciar a prevenção do envelhecimento facial

A idade certa para iniciar a prevenção do envelhecimento facial

É costume dizer-se que a prevenção é a nossa melhor aliada. E no caso da pele do rosto podemos mesmo sublinhar esta afirmação. É uma zona que fica bastante exposta ao clima, quer seja às agressões solares, à ação do frio e até mesmo do vento. Há também outros fatores que podem influenciar a qualidade da pele, como a genética, os cuidados faciais diários e ainda a utilização de maquilhagem que deve respeitar as necessidades da pele.

Pinterest Google+

Ao longo da minha vida profissional tenho-me apercebido de uma tendência da mulher portuguesa: em vez de chegarem ao consultório para reverter o envelhecimento cutâneo, pretendem antes a sua prevenção atempada. É aqui que se coloca a pergunta: a partir de que idade se pode começar a prevenir o envelhecimento facial?

 

Efetivamente há uma idade legal mínima – os 18 anos – para a realização de qualquer procedimento estético; não obstante, nestas idades não é comum que haja sinais de envelhecimento cutâneo pois estamos ainda a falar de peles jovens.

 

Contudo, a minha sugestão é a de que não se deve esperar que surjam os primeiros sintomas na pele pois a sua resolução posterior poderá necessitar de tratamentos mais invasivos e demorados ou até mesmo de cirurgia. Regra geral, a partir dos 25 anos poderemos ter em conta alguns procedimentos.

 

Reforço que, mesmo não tendo ainda sinais concretos, poderá marcar uma consulta e, avaliando o historial clínico, a genética, a qualidade da pele e os cuidados diários, o profissional de saúde consegue dar orientações para a melhor forma de prevenir sulcos, rugas ou manchas.

 

Sabendo que depende sempre destes fatores acima mencionados e que carece sempre da realização de uma consulta de avaliação, irei avançar com exemplos de alguns procedimentos que ajudam na prevenção do aparecimento de sinais de envelhecimento da pele do rosto.

 

Baby botox – É um termo utilizado na medicina estética que se refere à utilização da toxina botulínica em quantidades menores em peles mais jovens. Tem precisamente o objetivo de suavizar as rugas de expressão e evitar que surjam rugas acentuadas.

 

Mesoterapia – Quer seja com a aplicação de vitaminas, aminoácidos ou de ácido hialurónico muito fluído (molécula fundamental na nossa pele para uma boa textura e hidratação) através de microinjecções conseguimos melhorar a qualidade da pele e fornecer a nutrição de que necessita e ainda prevenir e corrigir as pequenas rugas faciais.

 

Laser – Através de uma análise da pele é possível verificar se tem tendência ao surgimento de manchas. Estou a falar da máquina de simulação VISIA que nos indica a idade real da pele assim como o que esta “esconde” e quais podem vir a ser os problemas futuros. No caso das manchas, rosácea ou rugas finas há disponível uma panóplia de lasers com as mais variadas indicações. Cabe-me ainda salientar que na Up Clinic temos máquinas específicas de laser cujos tratamentos, ao contrário das indicações dadas até então, podem ser realizados no verão.

 

Radiofrequência – a utilização desta tecnologia permite prevenir e reverter a flacidez da pele. Desde uma aplicação facial externa até à radiofrequência mais invasiva podemos mudar o envelhecimento de um rosto.

 

O importante a retirar desta informação que vos passo é a de que não precisam de esperar pelos primeiros sinais de envelhecimento da pele pois posteriormente será um processo maior para os eliminar, podendo até ser necessária uma cirurgia. Atualmente é já possível atuar de forma preventiva. É uma prevenção realizada ao longo do tempo, com pequenos tratamentos, evitando que o problema avance e necessite de uma solução mais invasiva.

Artigo anterior

Portugueses recorreram a sites de encontros durante a quarentena

Próximo artigo

Infusões com História: uma viagem mágica pelas sensações de Portugal