Home»S-Vida»A história do Dia Internacional da Mulher

A história do Dia Internacional da Mulher

Tudo começou há mais de cem anos por questões de ordem laboral. Hoje em dia, é celebrado um pouco por todo o mundo a 8 de março, por ainda ser necessário recordar a igualdade de género como premissa para uma sociedade saudável. Conheça as datas mais importantes desta luta, segundo conta a Organização das Nações Unidas.

Pinterest Google+
PUB

A luta das mulheres pela igualdade de direitos já leva mais de cem anos na considerada sociedade ocidental. «É um dia que reconhece as mulheres pelos seus feitos sem olhar a divisões nacionais, étnicas, linguísticas, culturais, económicas ou políticas», explica a Organização das Nações Unidas (ONU).

 

O movimento pelos direitos das mulheres surgiu na passagem para o século XX, junto de grupos de trabalhadoras nos Estados Unidos e na Europa. Desde aí, ganhou uma dimensão global. Mais de cem anos passados, este dia continua a ser necessário para ajudar as mulheres dos países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento a atingirem a igualdade de direitos.

 

Datas importantes para o Dia  Internacional da Mulher

– 1909: Teve lugar nos Estados Unidos da América, no dia 28 de fevereiro, o primeiro Dia Nacional da Mulher. O Partido Socialista da América designou este dia em honra da greve, em 1908, das trabalhadoras de vestuário, em Nova Iorque, onde estas protestaram contra as condições de trabalho.

 

VEJA TAMBÉM: MARIA MANUEL LEITÃO MARQUES: «PRECISAMOS DE CONTINUAR A LUTAR PELOS DIREITOS DAS MULHERES SE NÃO QUEREMOS ESPERAR 60 ANOS PELA IGUALDADE PLENA»

 

– 1910: A Internacional Socialista reuniu-se em Copenhaga, Dinamarca, e estabeleceu o Dia Internacional da Mulher, para honrar o movimento pelos direitos das mulheres e para construir suporte para conseguir o sufrágio universal para as mulheres. A proposta foi aprovada por mais de cem mulheres de 17 países, entre as quais as primeiras três mulheres eleitas para o parlamento finlandês. Não foi, no entanto, fixado nenhum dia em particular.

 

– 1911: Em resultado da iniciativa de Copenhaga, o Dia Internacional da Mulher foi assinalado pela primeira vez na Alemanha, Áustria, Dinamarca e Suíça, a 19 de março, onde mais de um milhão de mulheres e homens participaram em manifestações. Para além do direito de votar e ocupar cargos públicos, eles exigiam direito das mulheres ao trabalho, à formação profissional e que se acabasse com a discriminação no trabalho.

 

– 1913-14: O Dia Internacional da Mulher tornou-se um mecanismo de protesto contra a Primeira Guerra Mundial. Como parte integrante do movimento pacifista, mulheres russas celebraram o seu primeiro Dia Internacional da Mulher no último domingo de fevereiro. No resto da Europa, por volta de 8 de março do ano seguinte, as mulheres fizeram manifestações para protestar contra a guerra ou para expressar solidariedade para com outros ativistas.

 

– 1917: Contra a guerra, as mulheres na Rússia escolheram novamente para protestar e pedir por ‘Pão e Paz’, no último domingo de fevereiro, o que calhou a 8 de março no calendário gregoriano. Quatro dias depois, o Czar abdicou e o Governo provisório garantiu às mulheres o direito de votar.

 

VEJA TAMBÉM: 12 ESTRATÉGIAS PARA MULHERES SEM TEMPO

 

– 1975: Celebrou-se o Ano Internacional da Mulher e a ONU estipulou o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher.

 

– 1995: A Declaração e Plataforma de Ação de Pequim, um documento histórico assinado por 189 governos, focado em 12 áreas críticas, ambicionou um mundo em que cada mulher e menina possa exercer suas escolhas, tais como participar na política, receber educação, ter um ordenado, e viver em sociedades livres de violência e discriminação.

 

– 2014: A 58ª Comissão do Estado da Mulher (CSW58) – o encontro anual dos Estados para abordar questões críticas relacionadas com a igualdade de género e direitos das mulheres –  focou-se nos ‘Desafios e realizações na implementação dos objetivos de Desenvolvimento do Milénio para mulheres e meninas ‘. As Nações Unidas e as ONG de todo o mundo fazem um balanço dos avanços e desafios restantes para o cumprimento dos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Estes têm tido um papel crucial para chamar a atenção e conseguir recursos para a igualdade de género.

 

– 2015: Neste ano, os países adotaram a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e os seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O objetivo 5 é “Alcançar a igualdade de género e capacitar todas as mulheres e meninas».

 

 

Artigo anterior

Sociedade Portuguesa de Cardiologia alerta para doenças cardiovasculares como principal causa de morte das mulheres em Portugal

Próximo artigo

Rápido e saboroso: Tarteletes de ovo e ervas aromáticas