Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»A ciência da gratidão (e de saber ser grato)

A ciência da gratidão (e de saber ser grato)

Os estudos indicam que a gratidão traz inúmeros benefícios e deve ser integrada no nosso quotidiano.

Pinterest Google+
PUB

A ciência da gratidão e a psicologia positiva têm explorado o poder transformador deste sentimento na rotina das pessoas. Os estudos indicam que a gratidão traz inúmeros benefícios e deve ser integrada no nosso quotidiano.

 

Em primeiro lugar, a gratidão desabrocha do seio de sentimentos fraternos, tais como o amor, a generosidade, a amizade, a solidariedade e o companheirismo. Estes sentimentos reforçam os nossos laços interpessoais, aprimoram a nossa resiliência e auxiliam na nossa conexão com algo maior, proporcionando prazer, felicidade e bem-estar.

 

A gratidão é também uma ferramenta poderosa para fomentar a sociabilidade, a autoestima e a espiritualidade. Ao expressar gratidão, incentivamos a empatia e a reciprocidade, fortalecemos a autoestima e exploramos novos caminhos de espiritualidade.

 

VEJA TAMBÉM: POTENCIAR O AMOR-PRÓPRIO

 

Sabia que a gratidão pode ser exercitada? Nesse sentido, proponho um plano de ação simples e fácil para exercitar a gratidão no quotidiano.

 

Plano de ação

 

Oração matinal: Comece cada dia com uma oração de gratidão, não preciso de ser religioso, uma simples palavra proferida tem o poder de o alinhar com a energia da gratidão.

 

Nesse sentido, agradeça com emoção pela vida que os seus pais lhe deram, que carrega a força da ancestralidade no seu ADN. Reconheça e agradeça pelo funcionamento do seu organismo, pois cada dia de vida é um presente.

 

Diariamente, expresse a sua alegria por ter as pessoas da sua família e do seu quotidiano consigo. Como habilmente Wandy Luz se exprime, “Se o amanhecer é o primeiro milagre, agradecer deve ser a minha primeira oração.”

 

Carta de gratidão: Escreva uma carta expressando a sua gratidão a alguém que tenha feito algo de bom por si ou por alguém que ama. Explique por que está agradecido, declare a sua felicidade e o seu respeito. Entregue essa carta à pessoa ou leia-a para ela.

 

Diário da gratidão: Mantenha um diário onde anota, diariamente, pelo menos três coisas boas que aconteceram consigo. Descreva as emoções que sentiu e as reflexões que teve. Quando estiver a passar por momentos difíceis, leia as suas anotações para ganhar força.

 

Mentalização da gratidão: Adote a prática de mentalizar a gratidão, especialmente ao acordar ou em momentos de stresse, como no trânsito, numa reunião de trabalho ou durante uma refeição. Crie esta vibração positiva que lhe retorna, envolvendo-se nesta energia benéfica.

 

Com estes pequenos gestos diários, irá permitir, reconhecer e valorizar as pequenas coisas que enriquecem a sua vida todos os dias. Torne a gratidão uma prática diária e descubra como a sua perspetiva do mundo pode mudar para melhor.

 

Em conclusão, podemos imaginar a gratidão como a água de uma cascata, fluindo de maneira constante e suave sobre os recifes da nossa vida, alimentando e nutrindo o nosso bem-estar físico e mental. Se cultivarmos o hábito da gratidão, a felicidade não será uma busca, mas um reflexo natural da nossa existência.

 

Lembre-se que a prática da gratidão pode mudar o seu dia e, eventualmente, a sua vida. Este plano de ação é um excelente começo para este hábito transformador.

 

Por Alberto Lopes 

Neuropsicólogo/hipnoterapeuta

 

Artigo anterior

Modalidades de treino cardiovascular para quem não gosta de correr

Próximo artigo

Anemia: mas afinal do que se trata?