Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»9 de janeiro: o dia da traição

9 de janeiro: o dia da traição

Perder peso, praticar mais desporto, deixar de fumar e… encontrar um amante. São estas as resoluções de ano novo de algumas pessoas. No começo de um novo ano, algumas pessoas estão mais inclinadas para novas experiências, ainda que extra conjugais e consideradas moralmente erradas.

Pinterest Google+
PUB

Hoje, dia 9 janeiro, é um dia arriscado para os casais. Segundo a última pesquisa do Gleeden, plataforma de encontros extraconjugais, este é o dia cotado com maior grau de infidelidade.

 

De acordo com os dados recolhidos nos últimos anos, a segunda-feira após as férias de Natal parece ser uma data chave para os infiéis. Na segunda feira, 11 de janeiro de 2016, o site registou um aumento nas inscrições em mais de 320%.

 

Veja também: Como gerir os ciúmes

 

Esta é uma tendência que se expressa em todo o mês de janeiro e pode ser explicada de diversas maneiras. O fim do ano é um período propício para balanços pessoais. Após o período das festas, normalmente consagrado à família, o mês de janeiro é visto como o momento ideal para se concentrar em si mesmo e nos seus desejos.

 

Entre os 13 mil membros da plataforma Gleeden, 71% admitem ficar mais ativos no site no começo do ano. O motivo mais expressado por mais de metade das pessoas interrogadas para explicar este aumento de atividade são as festas de final de ano sufocantes para o casal e a necessidade crescente de reencontrar a liberdade. Outras pessoas sentem o desejo de algo novo às suas vidas (26%) e 19% confessam estar mais inclinadas para novas experiências no início do ano.

 

Veja também: O amor explicado pela ciência

 

«Estes números não têm nada de surpreendente », declara Solène Paillet, diretora de Comunicações do Gleeden. « Ao inscreverem-se no Gleeden ou passarem mais tempo na plataforma, os membros procuram uma maneira de trazer algo de extraordinário para o seu dia a dia. Um dia a dia que pode ser pesado, até mesmo opressivo, após longos momentos consagrados ao círculo familiar. É o resultado de uma necessidade humana e legítima: a de sentir prazer e de pensar em si mesmo».

Artigo anterior

Polícia prende 16 homens ligados ao assalto de Kim Kardashian

Próximo artigo

Depois dos excessos...