Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»8 em cada 10 mulheres sentem que ainda não atingiram todo o seu potencial

8 em cada 10 mulheres sentem que ainda não atingiram todo o seu potencial

Quanto mais forte uma mulher se sente, mais confiante e motivada ela é. Um novo estudo diz que a foça interior tem mais significado para a mulher do que a beleza física e a riqueza.

Pinterest Google+
PUB

As mulheres olham para a força interior como algo tão importante como a felicidade, e estas duas qualidades são quase duas vezes mais significativas do que a beleza física e a riqueza. Contudo, oito em cada dez mulheres sentem que ainda não atingiram todo o seu potencial, de acordo uma pesquisa global conduzida pela ‘Special K’.

 

Aparentemente atravessa-se o momento em que as mulheres se sentem mais fortes, uma vez que 77% sente que possui força interna. O que se traduz na liderança de empresas globais, na ocupação de cada vez mais direções e na crescente distribuição dos papéis de género dentro e fora de casa no mundo inteiro, apesar do que ainda muito há para fazer. Assim, três quartos das mulheres deste estudo desejam possuir ainda mais troféus.

 

Veja também: O que é que as dietas de sucesso têm em comum?

 

A ‘Special K’ anunciou o seu compromisso de educar as jovens sobre alimentação e nutrição, uma área com um impacto significativo no bem-estar emocional das mulheres, através de uma parceria com a Fundação das Nações Unidas corporizada na campanha ‘Girl Up’.

 

O relatório da ‘Special K’, ‘A Nova Face da Força’, anunciado ontem, revela que muitas mulheres sentem que os fatores que contribuem para a força interior das mulheres estão sob o seu controlo, como nutrição, aptidão, um sentimento de comunidade e bem-estar mental e emocional. De facto, 68% das mulheres entrevistadas citaram a comida como um importante elemento para alimentar a força interna.

 

Veja também: Porque aumenta o sexo com a chegada da primavera?

 

O movimento ‘Girl Up’ é conduzido por mulheres e tem como missão unir meninas e mulheres de todo mundo, incentivando-as a assumir o poder em todo o mundo, em particular nos lugares onde é mais difícil ser mulher. «Temos quase meio milhão de defensores da causa, que se envolvem e educam as meninas para mudar o mundo», afirma  Anna Blue, vice-diretora da ‘Girl Up’. «Estamos empolgados por unir forças com a ‘Special K’ para promover a nossa missão de inspirar meninas e mulheres a aprenderem mais sobre a sua força interior».

 

Oficinas de nutrição personalizadas e programas digitais disponibilizados pela ‘Special K’ e a ‘Girl Up’ são alguns dos recursos críticos para garantir que as jovens de todo o mundo tenham as ferramentas de que necessitam para viverem em plenitude. Proporcionam, no fundo, uma forma de ajudar as comunidades associadas e apoiam o empoderamento feminino.

 

Veja também: Mais de dois terços das mulheres não atingem o orgasmo

 

Quanto mais forte se sente uma mulher, mais confiante e motivada ela é, o que, por sua vez, afeta a sua positividade e proatividade. Segundo o relatório, 80% das mulheres sentem-se mais fortes quando ajudam os outros, contribuindo para uma cadeia de força, mas apenas 57% afirmam ter recebido apoio de outra mulher.
A força interna é complexa e multidimensional e varia de acordo com a situação: 79% das mulheres veem a determinação como um atributo importante num espaço profissional, mas apenas 59% encara a variável como algo crucial na educação. A força interna é vista como uma característica ou necessidade inerentemente feminina. Na verdade, 62% acredita que a força interior é mais necessária para as mulheres, e apenas 9% acredita que é mais necessária nos homens.

Artigo anterior

Bugatti de duas rodas: depois do carro e do iate, agora a bicicleta

Próximo artigo

Tratamentos caseiros para a acne