Home»BEM-ESTAR»CORPO»45% dos portugueses dispensa a prática de exercício físico nas férias e prefere apenas relaxar

45% dos portugueses dispensa a prática de exercício físico nas férias e prefere apenas relaxar

Estudo revela hábitos desportivos dos europeus em férias, destacando que os portugueses são os que mais se desligam da rotina desportiva durante este período. Ainda assim, os portugueses afirmam que gostam da ideia de fazer umas férias dedicadas ao desporto, ainda que não tenham planos para o fazer num futuro próximo.

Pinterest Google+
PUB

A maior parte dos inquiridos portugueses (45%) revela que o que habitualmente procura nas férias é simplesmente relaxar e não fazer nada. No entanto, há também quem procure manter-se ativo, fazendo menos exercício do que o normal (31%) e ainda quem mantenha a sua rotina de desporto, independentemente de estar de férias (16%). Estes são dados revelados pela agência de viagens eDreams, que realizou um estudo sobre os hábitos desportivos dos portugueses durante as suas férias.

 

São muito poucos os que dizem procurar fazer mais desporto durante as férias, uma vez que têm mais tempo para se dedicarem ao exercício físico (6%). A nível europeu, apenas os italianos (38%) confessam, tal como os portugueses, que preferem não fazer nada durante as férias. Nos outros países analisados – Reino Unido (48%), Alemanha (47%), Espanha (44%) e França (37%) – os viajantes são unânimes na sua escolha principal: procuram manter-se ativos durante as férias, embora fazendo menos exercício do que no quotidiano.

 

VEJA TAMBÉM: MANTENHA O ESPÍRITO DE FÉRIAS ENQUANTO TRABALHA

 

Assim sendo, 42% dos portugueses afirma também que, quando chega a hora de marcar as férias, não têm em conta a possibilidade de poder manter a sua atividade física habitual, contra 40% que dizem procurar ter a certeza de poder manter a prática de exercício. Aqui, também as respostas dos alemães (30%), italianos (40%) e ingleses (17%) vão de encontro às dos portugueses: não pensam em desporto na hora de marcar férias. Já os franceses (45%) e espanhóis (46%) preocupam-se mais em garantir que vão poder manter os seus hábitos desportivos, mesmo longe de casa.

 

Olhando para esta questão sob uma perspetiva de género, é possível também aferir que os homens portugueses se preocupam mais com a prática do desporto em tempo de férias do que as mulheres: 47% dos homens afirmou ter em conta a possibilidade de praticar desporto nos locais de férias, contra apenas 33% das mulheres. A eDreams descobriu também que, para a maior parte dos inquiridos, a principal motivação para praticar exercício durante as férias é a tentativa de contrabalançar o que comem, de forma a poder aproveitar as especialidades locais sem preocupações.

 

VEJA TAMBÉM: RESOLVA INCOMPATIBILIDADES DE SONO DO CASAL

 

E se experimentarem um desporto novo durante as férias, o que acontece quando voltam para casa? Cerca de 40% dos portugueses afirmam que é “algo provável” que possam vir a dar continuidade a essa atividade mesmo depois do regresso, provando que, ainda que prefiram fazer umas férias relaxantes, o desporto pode sempre ser uma opção e estão abertos a experiências.

 

Nesse sentido, a agência de viagens europeia quis também saber o que pensam os portugueses sobre marcar férias com o propósito de testar os seus limites no que toca ao desporto – por exemplo, para ir participar numa maratona, Iron Man, Trekking ou fazer caminhadas, entre outros desportos. Cerca de 42% dos inquiridos afirma ter interesse nesta ideia, ainda que não tenham planos de o fazer num futuro próximo.

 

VEJA TAMBÉM: VINDIMAS EM SETÚBAL: PROGRAMAS NAS ADEGAS E EM CRUZEIROS NO SADO

 

Por outro lado, 35% é perentório em afirmar que não iria de férias com este objetivo, enquanto 11% revelam ter uma viagem deste género marcada, ou planos de o fazer com rapidez; são poucos, apenas 7%, os que dizem já o ter feito.

 

O estudo foi conduzido pela OnePoll para a eDreams ODIGEO e em Portugal foram inquiridos 1000 adultos portugueses que já tivessem ido de férias pelo menos uma vez. Este mesmo estudo foi conduzido também noutros países da Europa (Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) e nos Estados Unidos, o que resultou num total combinado de 8000 inquiridos, todos adultos que já tivessem ido de férias pelo menos uma vez.

Artigo anterior

Castro Marim regressa à época medieval

Próximo artigo

Consumo de malaguetas pode ajudar a diminuir a mortalidade