Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»10 dicas para proteger o nosso cão no inverno

10 dicas para proteger o nosso cão no inverno

Nesta altura do ano temos de proteger o nosso cão do frio e da chuva. Há alguns cuidados que podem tornar os passeios diários mais confortáveis, tendo também em conta a sua idade, tamanho e tipo de pelo.

Pinterest Google+
PUB

Especial cuidado com os cães seniores

Os cachorros, cães seniores e com problemas de saúde são mais vulneráveis ao frio, por isso devemos ter especial atenção nos seus passeios, que no inverno devem ser mais curtos.

 

Especial cuidado com os cães pequenos

Os cães de porte pequeno tendem a arrefecer mais rápido porque estão mais próximos do chão e até em contacto com este. Além disso, têm menos massa corporal, que ajuda a manter a temperatura. Mas os cães de grande porte também sentem frio!

 

A influência do tipo de pelo

O tamanho e tipo de pelo influencia o frio que o cão sente. Os cães de pelo comprido, denso e com muito subpelo suportam melhor o frio que um cão de pelo curto ou sem pelo.

 

Usar um agasalho

Vestir um agasalho, como um casaco ou camisola, antes de sair de casa protege o nosso cão do frio, da chuva e da humidade. Quando está a chover a roupa deve ser impermeável e até já há no mercado trelas com guarda-chuva! Muito importante, ao chegar a casa tire sempre o agasalho.

 

VEJA TAMBÉM: CÃES GULOSOS: A COMIDA DE HUMANOS QUE ELES PODEM OU NÃO COMER

 

Secar depois do passeio

Depois do passeio temos de secar as patinhas e outras zonas do corpo que estejam molhadas com uma toalha turca, usando de seguida um secador, para eliminar bem a humidade. A humidade, em conjunto com o frio, é uma combinação perigosa para a saúde do nosso cão. O pelo e a pele molhados, e sujos, por longos períodos de tempo tem como consequência o aumento da presença de fungos e bactérias. Causa ainda irritação, à qual o animal reage coçando-se, iniciando outro problema.

 

Fazer boa manutenção do pelo

No inverno é essencial manter o pelo bem escovado, limpo e arejado, para que este providencie uma correta proteção térmica. Negligenciar a manutenção do pelo fará com que este não consiga efetuar a sua função, pois a compactação do pelo provoca um efeito de estufa, acumulando humidade e sujidade no seu interior. Além disso, o pelo não seca rapidamente e ao invés de proteger o cão do frio, irá mantê-lo frio e molhado durante mais tempo. Cortar o pelo das patas e entre as almofadinhas, e manter o pelo no peito mais curto é uma boa ajuda.

 

cão branco

Estar quente em casa

Em casa, o nosso cão deve estar num local quente e seco, com uma caminha macia, confortável e quentinha, para que se possa aninhar e descansar. De preferência que não esteja muito próximo de uma fonte de calor, para minimizar as diferenças de temperatura quando o cão vai à rua!

 

Cuidado com as fontes de calor

Falando de fontes de calor, cuidado com as lareiras, aquecedores e salamandras. O nosso cão pode aproximar-se demasiado e sofrer uma queimadura.

 

Ter uma casota no exterior

Se o nosso cão passa muito tempo no quintal de casa é essencial ter uma casota para se abrigar. A maioria das casotas disponíveis no mercado protege da chuva e do vento, mas não tem uma boa capacidade isolante para os proteger do frio. Colocar uma base de plástico, para a cama não estar em contacto com o chão, permite que esta se mantenha seca e que o cão sinta menos frio.

 

Usar botinhas nas patas

Por fim, em Portugal não é habitual colocar botinhas nas patas dos cães, mas é comum em locais onde neva com regularidade. As botas protegem as patinhas de queimaduras pela neve/gelo e dos produtos que são colocados no chão para descongelar os passeios e as estradas. Se tivermos de calçar o nosso cão, porque vamos de férias para um local com neve, por exemplo, antes temos de o habituar a usar as botas, fazendo-o de forma gradual e paciente.

 

Seguindo estas dicas vamos desfrutar melhor da companhia do nosso cão nos meses mais frios do ano!

Artigo anterior

Castelo Rodrigo e Cumeada entre as melhores aldeias turísticas do mundo

Próximo artigo

Redução da ingestão de carne tem muitas vantagens